16 janeiro 2014

 
Querida mamãe, 
aqui está tudo bem, faz muito calor em Copacabana, um inferno. 
O casamento com o Moyses me fortaleceu. 
Não foi fácil, mas você nunca me disse que seria. 
Acho que finalmente parei de contar os dias, os meses, desde que você partiu.

Moyses, agora, tem o meu nome, Prochownik, foi o que encontrei pra dar à ele. Ele me devolveu a vida, e eu só pude retribuir oferecendo um nome complicado de gringo.
Chove muito, e posso ouvir você dizendo "corre, fecha as janelas da sala e desliga esse computador, se não ainda vai morrer eletrocutado!" Vou fazer isso, agora. 
Até um dia desses, mamãe. Sinto muitas saudades de você.
Beijo do seu filho, Jôka.

 


 
 

3 comentários:

Janaina disse...

Gostei da carta. Seja feliz, Jôka.

Ilvia Oliveira disse...

Não vinha aqui há tanto tempo... Vi que sua querida mãe foi embora alguns dias antes da minha (será que se encontraram?), que você está feliz, que tem um lindo amor, que o seu trabalho é incrível (me apaixonei por vários pratos). Fiquei feliz por você! Beijo grande

Jôka P. disse...

Obrigado por suas mensagens,
Janaína e Ilvia! :-) bjs ♡