06 maio 2005

As estrelas não dormem

Foi convidada para muitas festas depois da première, mas estava muito cansada.
A limusine levou-a de volta para o estúdio, agora quase deserto.
Uma das camareiras a esperava no camarim M.

Já era quase meia noite.

Marilyn tirou as luvas, os brincos, os sapatos, o vestido.

Despiu, também, o rosto falso, limpando-o com creme e lenços de papel.
Sentia-se cansada, mas não tinha sono.
Entrou no carro e dirigiu lentamente pela auto-estrada na beira do mar.
Quando voltou para casa, bebeu um copo de suco de laranja misturado com gelatina e tomou três comprimidos de Seconal.
Nessa noite era a mulher mais famosa de Hollywood. E não conseguia dormir.
Não podia dormir, quando vencia.
Anos mais tarde, também não poderia dormir, quando era vencida.

Marilyn - A Biography . Norman Mailer

2 comentários:

Bagunceira disse...

Que lindo Joka... lindíssimo esse post!
beijo

Anônimo disse...

E aí Jôka. Aqui é o Arnaldo, amigo da Monica. Ela me passou o endereço e acabei de visitar. Tá muito legal. Valeu mesmo. É pra quem cresceu e vive em Copacabana. Só esses sabem alguns dos mistérios desse bairro. Vamos mantendo contato.
Grande abraço!!!