16 agosto 2011

Café da manhã na H. Stern

Breakfast at Tifany´s. Nunca li esse livro. O filme que se inspirou nele (Bonequinha de Luxo) é fraco, chato, só vale mesmo pelos figurinos lindos do genial Hubert de Givenchy, o homem que fez Audrey Hepburn arrasar e se tornar uma estrela.
Mas conteúdo nunca foi importante pra mim, e sim a aparência... a capa dessa edição comemorativa de 50 anos não é incrível?

7 comentários:

As Tertulías disse...

O livro é ótimo!!!!!!!!!!!!!! Holy Golightly era na realidade um "tipo Marilyn": loura, vulgar, cheia de curvas... Eu conheci um amigo de um amigo que conheceu a verdadeira Holy em N.Y. nos anos 50...

Jôka P. disse...

Oi Ricardo! Agora que você me disse que Holly Golightly era tipo uma Marilyn, compreendo porque o filme bonequinha de Luxo nunca me pegou: Audrey Hepburn além de inexpressiva (só sabe sorrir e pestanejar super meiga) é muito magra e elegante pra convencer como puta! Ninguém jamais pagaria pra comer aquela mulher-esqueleto, né.

Phophina disse...

amei a sua colocaçao, Jôka! Pior é que tem homem que gosta de mulher tábua de passar! O meu nao!

Café da manha na H. Stress? Que horas? Vou pegar o meu jatinho e estarei aí!

beijos phophinescos

Jôka P. disse...

\☺/ Oba Phophina!!!

Engraçadinha disse...

Definitivamente!

Patricia disse...

O livro é ótimo, também né, é Truman. Alias, Tell All tb é bom (o outro livro da foto), Palahniuk arrasa. Desvirtuei geral.

mari disse...

Truman Capote ao escrever a história e Richard Shepherd, Blake Edwards ao realizarem a passagem do livro para o cinema não queriam passar a imagem de uma(puta)como foi citado acima! E sim como ela queria ser livre, mas acabava presa pelo seus atos, seu medo de amar e se entregar.
A maravilhosa Audrey Hepburn soube muito bem passar essa imagem uma mulher inocente vivendo em um mundo totalmente indecente tentando se libertar de si mesma!