29 agosto 2011

E o corpo inteiro feito um furacão. Boca, nuca, mão - e a tua mente, não.

Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum trocado pra dar garantia

E ser artista no nosso convívio
Pelo inferno e céu de todo dia
Pra poesia que a gente não vive
Transformar o tédio em melodia...

Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum veneno
anti-monotonia...

(Todo Amor Que Houver Nessa Vida
- Barão Vermelho)

Pink Crooner - foto: Jôka P

6 comentários:

david era uma vez... disse...

OOO beleza de marido!!!(com todo respeito que lhe é devido, claro!)
Parabens de novo e de novo!
Adoro demais essa música e ficou super bem para o contesto da obra!

Beijos meu querido

franka disse...

u-hú, querido! saudade de ti.

As Tertulías disse...

Parabéns!!!!!
(Acabei de fazer um elogio no blogue del pelo "corpito"! Que maravilha, hein?)

Angela Ursa disse...

Muito lindo! E a música também. E viva o amor!! Beijos e carinho da Ursa

Moyses Ferreira disse...

:)

Engraçadinha disse...

Joka, ainda não tinha visto declaração de amor tão linda. Sem sacanagem. Vc faz como? Acorda e resolve simplesmente: hj eu vou ser foda! (?)
Deu vontade de sentir isso de novo, mas... Vida q segue, não posso reclamar.
Bj e muito amor ardido na vida dos dois.