10 dezembro 2009

Copacabana é azul

Dois caras sentados em seus quartos, sozinhos, diante de seus computadores, estão enviando mensagens pelo twitter. Mas eles não se vêem.
Dois caras sentados um na frente do outro, se falam, sem se ver.
É muito estranho olhar pra mim e perceber que o tempo está passando tão depressa que quase já dissolveu aquele sujeito que fui há umas poucas semanas atrás.



11 comentários:

Anônimo disse...

"Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente viu há
um segundo
tudo muda o tempo todo no
mundo..."

Pessoalmente acho isso uma boa, mesmo prq não há nada q se possa fazer p/impedir.

Felicidades!

Liliane de Paula disse...

Eu sou roxa. Ou estou roxa, nem sei.

Tertúlias... disse...

Esta estória desperta tanta curiosidade... Bem, pelo menos sou honesto e digo, né? :-)
Ricardino

Angela Ursa disse...

Jôka, andei sumida porque troquei de computador e estou com trabalho atrasado. Beijos saudosos da Angela Ursa :))

Dani disse...

A gente muda o tempo todo.
Acho que é bom que seja assim.

Beijão!

dudv disse...

Eu achei reflexivo e bonito o post. Gostei!

Anônimo disse...

AMEIIIIII
Bj
Môka P.

Anônimo disse...

Virtual não tem cheiro ...aindaA !
kkkk
Môka P.

Anônimo disse...

Não tenho Twitter, por não ter paciencia.
Leio alguns, e vi que vc ultimamente anda usando muito o termo "todo trabalhado" nisso ou naquilo. Isso é coisa da Polly do TDUD, a eterna encaçachada sem noção...

Larga disso, q pega meio mal...

Boa noite.

bueno disse...

o mundo vitual, como o real, é cheio de alegias e tristezas. eu também já me envolví com palavras. Palavras mentem, iludem, mas também dizem a verdade. Vida mesmo, meu amigo, é do outro lado do monitor. Amigos virtuais veem e vao como a maré de Copacabana, apagando todos os rastros que deixamos na areia.

Marcos Dhotta disse...

...É isso aí caríssimo! O Tempo e a Maré não esperam por ninguém. E eu é que não vou perder meu tempo - sentado - só twittando. E muito menos ficar esperando a maré baixar para catar conchinhas... Preciso acontecer sempre! Portanto, não esperem por mim... Um dia eu chego!