01 setembro 2007

Preto e branco

"As tragédias alheias são sempre de uma deseperadora banalidade" - acho que foi Oscar Wilde quem disse isso.
Ontem fui ao velório do pai de um amigo que conheço desde sempre, a vida inteira - já até perdi a conta de há quantos anos o conheço.
Nos anos 80 fomos muito parecidos, muito próximos, semi punks. Hoje ele é um advogado super bem sucedido, sério, famoso, casado e cheio de filhos que vão ser como ele.
R. se tornou o oposto de mim.
A secretária me telefonou de tarde dizendo “O Dr. R. pediu para avisar que o pai dele faleceu, o velório será na capela tal e tal ...”
O pai do meu amigo era juiz, um homem enorme, poderoso, que falava alto, com voz de trovão. Dentro do caixão ele parecia tão menor, parecia pequeno mesmo. Como se tivesse encolhido.
Como se a morte encolhesse as pessoas.

Fiquei deprimido, acho que era de se esperar numa situação dessas.
Abracei meu amigo, abracei a irmã maluca dele que vive entrando e saindo de clinicas psiquiátricas, beijei a mãe deles. Ela também parecia menor do que nunca.
Era como se eu estivesse em Liliput - aquela terra das viagens de Gulliver, povoada por seres minúsculos.
Andei um pouco e peguei um taxi.
Botafogo era um breu, uma escuridão sinistra. Black-out.
Dormi muito cedo, nem sei quantas horas. Isso acontece quando não estou legal.
Nem sei o que me deu pra ficar contando essas coisas.
Logo eu que tento sempre ver o mundo através de um olhar bem-humorado e mostrá-lo aqui filtrado por uma lente soft - um filme technicolor.

25 comentários:

Sonia disse...

É o real que a gente gostaria que não existisse...

Gostei muito da 2a. foto em BP com o edifício ao fundo! A imagem transmite a atmosfera do seu texto.
Abraços, Jôka!

palpiteira disse...

Sinto muito, querido, mas adoro quando escreve assim.
Beijôka.

Liliane de Paula disse...

É que na velhice a gente encolhe, Jôka.
Liliane

Lu Olhosde Mar disse...

nossa, q forte issso, amigo. espero q vc fique bem logo. beijo.

Laura disse...

Joka, sinto muito pela morte do pai do seu amigo. Momentos como esses sempre nos deixam deprimidos, nos relembram da nossa propria mortalidade, mas tambem que a vida eh preciosa.

Abracos

Mônica disse...

eu fecho com a palpi.....

Angela Ursa disse...

Jôka, espero que você esteja se sentindo melhor. Desejo força e luz para você, o seu amigo e a família dele. Eu também fico muito mexida em situações como essas. Prefiro guardar as lembranças das pessoas em vida do que vê-las partindo. Beijos carinhosos da Ursa

Hanny Meire disse...

Lamento por seu amigo, perdi o me papi há 4 aos e sei como dói... me sinto triste em toda e qualquer data comemorativa, sabe...meu aniversário está próximo e nem tenho graça pra comemorar...não vejo sentido em sair com minha família e o namorado da minha mãe (mesmo ele me adorando e com carinho imenso por mim!).Falta um pedaço dentro de mim e na minha vida, e quando vejo as fotos dele, sinto um desespero que vc nem tem idéia. A morte é cruel, é desesperador pensar que nunca mais o verei. O "nunca mais" é sórdido...


A gente acha que com o tempo a dor passa, mas não passa de forma alguma... procuro pensar que ele está viajando mas todos os dias tenho que controlar para não chorar e não perder a vontade de viver... é sério...

E pra completar,estou oficialmente solteira há quase um mês... o amor morreu e me sinto estranha, sabe... é estranho ter que recomeçar até pq iríamos noivar esse mês... é estranho e, ao mesmo tempo que quero um novo relacionamento, sério e estável, também tenho medo de tê-lo... medo de me decepcionar, sabe, medo de sofrer...

Tem vezes que eu me sinto perdida... tão perdida...
com medo de tudo, com saudade do passado,mas é vida é assim, a gente recebe rebordósias e precisa aprender a lidar com elas... é difícil mas a gente tem que aprender.

Hum, li seus posts todos... menino, a Cida está linda ! Eu torcia por ela, sabia ?

E vc, como sempre, cercado de beldades...

Um beijo pra você e procura aproveitar a vida,curtir muito sua família,quem vc ama,fazer coisas boas e ser feliz !

DO disse...

Pois é,JÔKA,mas a vida sempre acaba nos mostrando,de um jeito ou de outro,que as coisas não são sempre tão doces.
Grande abraço!!

Sonho Meu disse...

Dez anos atras o meu marido foi pro funeral de um grande amigo dele(nos moravamos em SP). Quando voltou perguntei... e aí como foi a cerimonia? Ele disse "Sérgio parecia um comandante em frente da sua nave!" Assim que ele definiu o rosto do amigo que era um fisico nuclear e que morreu de cancer. Triste né?
bjos,
me

SwáSthya disse...

Só quem já teve oportunidade de apreciar O Rio de Janeiro e o Calçadão, pode sentir nos olhos a beleza destas palavras.
Obrigado por me voltar a fazer reviver

SwÁsthya!

Janaina Staciarini disse...

A vida não é technicolor todos os dias, Jôka. E tem seu lado noir. Que é doloroso e às vezes feio, mas não menos importante.
Força, querido.
Muitos beijos.

Janaina Staciarini disse...

Adorei as fotos. Muito.

Alberto Pereira Jr. disse...

nem sempre conseguimos manter o bom humor diante de situações tristes da vida.. o importante é verbalizar e buscar conforto nas pessoas queridas...

Cadinho RoCo disse...

Existem situações que mexem com a gente de tal maneira, que passamos por outros momentos em que somos surpreendisdos por elas.
http://cadinhoroco.loginstyle.com

Olga disse...

A vida fica cinzenta de tempos em tempos, Jôka.
beijo

Avassaladora disse...

Querido,
esses fatos da vida fazem a gente pensar mesmo... a gente fica assim, meio sorumbático, macambúzio... Afinal, nem sempre dá pra olhar a vida com bom humor, mas tudo bem... passa!!!
Beijos,

Milady disse...

Jôka, de vez em quando temos que mostrar um pouco do outro lado...

A nós seus caros leitores resta-nos a compreensão de que vc, apesar de ter descido do Olimpo, tem algo de humano!

Beijão Loiro Lindo!

Silvia disse...

é que de vez em qdo a vida fica em P&B mesmo, Jôka. Normal isso. Principalmente aqui em SP em um dia como hj.

ana de toledo disse...

É... esse ir e vir da vida... essa impermanência...
Um beijo carinhoso

eduardo disse...

à medida que lia seu post, passou um filme na minha cabeça.

Ana D disse...

Um jeito tristemente sensivel de expressar um momento, porque afinal de contas, mesmo a gente querendo, a vida nem sempre é só cor...abraço

Ritoca disse...

Oi Jôka!

Vc é um ser humano, sujeito a esses momentos deprê. Ninguém vai reparar pois todos nós estamos sujeitos à isso.

Apesar do tema triste, gostei da sua descrição de como vc via e sentia as coisas. Já tive esta impressão também de voltar a um lugar que tinha ido quando criança e achar tudo tão menor.

Força aí e uma boa terça prá vc.

Bjs

Engraçadinha disse...

Talvez esse processo de encolhimento seja prá mostrar o quão nada somos, diante da morte.
bjs querido.

Chris disse...

Ô Jôka, espero que você já esteja melhor. Nestas horas a gente sente necessidade de desabafar e o blog é sempre um lugar de desabafo que está disponível. Bjo!