11 agosto 2009

Museu tira cabaré da Praia de Copacabana

Esse é o projeto do escritório americano Diller Scofidio que vai dar forma ao novo Museu da Imagem e do Som (MIS) na Praia de Copacabana, com exposições de um dos maiores bancos de dados da cultura brasileira.

O projeto é inspirado nas curvas do calçadão de Copacabana e prevê rampas, janelões envidraçados e paredes vazadas, em que os visitantes vão ver não só o acervo do museu, como também a paisagem bacanérrima da praia.
Reparem ao fundo da imagem, o favelão típico que ocupa parte do morro. E que pelo andar da carruagem, vai crescer, crescer, e ficar muito mais "espaçoso" quando o museu for inaugurado. Medinho.
O prédio do museu, que lembra muito o estilo futurista dos “Jetsons”, vai ter várias salas de exposição, auditório, cinema, salas para consulta e pesquisa, cafeteria, um restaurante panorâmico e um piano bar.
Tomara que tenha também segurança reforçada.


As obras devem começar no início de 2010, mas muito dificilmente as coisas aqui acontecem exatamente conforme as previsões.
A expectativa é de que o museu fique pronto dois anos e meio após a demolição do prédio em que hoje funciona a principal atração do turismo sexual no Rio de Janeiro, a Boate Help, o piranhódromo da Avenida Atlântica.
Então tá. Vou acompanhar tudo e mostrar a fotos aqui no blog: a demolição da discoteca-bataclãn, as obras, e, lógico, todo o basfond que com certeza vai rolar.
Porque, você sabe, a gente está no Brasil e aqui nada é o que parece.
Aqui as coisas nunca acontecem sem aqueles clássicos imprevistos básicos.
E muita, mas muita roubalheira. E porrada. E bafafá. Aguardem.


HELP !

32 comentários:

Mônica disse...

realiza: euzinha dançando freneticamente em cima de uma caixa de som de 10 da noite até às seis da manhã... hahaha...meu passado me condena!!!

mas vamos combinar que no tempo que eu frequentava não era a bagaceira de hoje, né? pq, pode não parecer, mas sou mocinha der família....

beijos, JP.... saudade de tu!

Marcia Paula disse...

Jôka:

Comparar com os Jetsons é um baita elogio. Adorava aquele visual futurista. O projeto parece muito interessante e inovador, pelo menos dessa vez (ainda) não copiamos aquela pirâmide envidraçada da França.Uma luz no fim do túnel e ponto para a criatividade.Beijos.

Lu Olhosde Mar disse...

finalmente Copacabana vai se livrar da Help...fala sério...

Chris Pessoa disse...

Nossa, Jôka! Achei que vai ficar meio esquisito... não combina muito. :-))))
Vamos ver no que vai dar.
[]'s

*Lis* disse...

O que vai ser de mim, da minha memória, das minhas tantas madrugadas (sem medo algum, livre,leve e solta) na orla, tendo por testemunha apenas as travestis e as pernas dançando em pisca-pisca de neon na fachada da Help?!
O que vai ser voltar pra casa (porque é claro que voltarei a morar em Copa a qualquer momento entre hoje e o resto da vida) no sábado de manhã, e não ter mais os restos (humanos?) da Help por ali?
Gostei não. O futuro e o futurismo me irritam às vezes, essa uma delas...
Life is a Cabaret, my dear, o que será de nós sem eles?
Beijos!

dudu oliva disse...

tenho esperança que o Rio de janeiro tenha mais paz e infraestrutura.

Alziro Patafisico disse...

Adorei o projeto do museu, mas vou sentir uma certa falta da piranhagem, foi que lá na Help que eu vomitei pela única vez na minha vida. Jamais vou esquecer...

Mônica disse...

voltei só pra te dizer foi o florista/halterofilista da sua feira que escreveu aquilo que eu disse lá...

ana de toledo disse...

Concordo com a Chris Pessoa.
Acho sim que projetos ousados e modernos devem fazer parte do mobiliário urbano da nossa linda cidade, mas esse deve ser harmonioso o que não é o caso.
O prédio que, que um dia abrigou um cassino e a Tv Tupi na Urca foi todo reformulado, renovado, modernizado e sem, contudo, perder suas características e em nenhum momento agride ou interfere na beleza natural da praia da Urca.
Minha filha, que tem apenas 6 anos, ao ver o prédio sentenciou: nossa que aterrorizante.
E compartilho da opinião dela.

Cristina disse...

Eu tbém gosto de coisas novas, Joka. Mas, sinceramente, não gostei muito deste projeto futurístico ali não. Tá tão destoante ?? Se vc em outro estilo, que harmonizasse um poukinho mais com o bairro ... Sorry, não gostei !!

Rafa-RJ disse...

Gostei, só o que destoa é a favela atrás.

Sonhar é Preciso disse...

Help

Jôka P. disse...

Não costumo interferir nos comentários, mas dessa vez quero participar deixando a minha opinião. Espero que ninguém se sinta constrangido em discordar de mim. Afinal, aqui é um espaço democrático, tudo o que vocês quiserem dizer será sempre valioso e bem vindo. Sabem que raramente deleto algum recado, só os mais heavy (mesmo assim quando pegam muito pesado).

Gosto muito dessa estética futurista e da idéia de evolução visual na nossa paisagem arquitetônica.
Nunca tive um olhar saudosista sobre nada e nem ninguém. Não sou retrô. Não sou vintage. Não quero congelar o passado na minha vida e nem muito menos parar o tempo na minha própria cidade.
Olho sempre pra frente, pro futuro.
O Rio de Janeiro não é um antiquário. Ao contrário, é uma cidade moderna, cheia de vida, de luz, de problemas, de encantos e contradições. Tipo assim, som e fúria.
O Rio não é um daqueles antiquíssimos países europeus do circuito Elizabeth Arden (Londres/Roma/Paris), onde, em parte, parece que o tempo parou, como numa fotografia.
Tirando o tradicional Hotel Copacabana Palace, acredito que aqui na Av. Atlântica não há mais nenhum prédio assim... tão incrível que mereça ser "preservado" pra posteridade.
Acho muito melancólica a idéia de que o moderno é ruim. E sempre prefiro olhar pro que ainda virá pela frente.

PS:
Só fui conhecer a HELP Discoteca quando já estava decadente e era uma baixaria total! Morei na França durante os 80´s e perdi toda aquela fase dos lendários Crepúsculo do Cubatão, Doctor SMITH, Barão com Joana, HELP e etc e tal.

Angela Ursa disse...

Jôka, eu gostei da idéia dos janelões panorâmicos do museu, mas achei a arquitetura dele futurista demais, destoando bastante dos outros prédios da praia. Nesse ponto, eu me acho ainda meio conservadora. Prefiro o estilo do Copacabana Palace.
O MAC de Niterói, que lembra um disco voador, é um museu moderno situado num ponto ótimo da cidade, que dá um efeito visual fantástico.
Beijos da Ursa
PS: Ainda bem que o problema do meu micro não foi na placa-mãe. Foram vários chiliques seguidos do Windows. No final, só aparecia uma tela preta. Deu um trabalho danado para eu conseguir reinstalar o sistema operacional e todos os programas. Perdi todos os meus e-mails, o catálogo de endereços atualizado e outras coisas mais. Agora, ainda bem que já estou quase terminando de instalar o principal.

luzdeluma disse...

Para você ver como as coisas são lentas - o decreto de desapropriação foi assinado em janeiro de 2008. Na mesma data foi determinado o novo local da nova sede da Procuradoria Geral do Estado (PGE) e até hoje, nada!! Vou gostar de acompanhar por aqui!! Boa semana! Beijus

DO disse...

A montagem ficou tão bem feita que eu já estava achando que tudo já estava pronto,rsss.

Espero que as coisas aconteçam mesmo.

Abração,JÔKA!

Maria Eugênia Ribeiro Franco disse...

Sei lá. achei meio bizarro, destoante.
Meu e-mail novo: eugeniarh@gmail.com. Blog removido. Outro desenvolvido, comunitário, só para trabalho e portanto fechado.
Continuo no entanto amando sua avenida!

Milady disse...

Hey Joka... Ainda estou formando a minha idéia sobre o projeto. Na primeira imagem confesso que não me bateu legal, mas nada que chegasse a me desagradar inteiramente... Mas essa última que mostra a visão lateral me pareceu algo bastante interessante! Talvez seja apenas aquela coisa do choque inicial entre o antigo e o novo! De qualquer maneira, sou a favor de iniciativas e prol da cultura, apesar de que depois acabem ficando abandonadas!
Voltei pro antigo Blog!!! \o/ Finalmente!
beijos

Marcelo Holanda disse...

Bem,


pra quem mora em Brasília não existe nada de 'moderno' ou 'futurista' no mundo que vc não se sinta obrigado a digerir!! Tem cada presepada vendida como arquitetura nessa cidade que o MIS do Rio nem mete medo!! Segundo a imprensa a calçada vai ser valorizada e se "integrar" ao museu, quer dizer que eles foram bem sensíveis se a gente pensar o quarteirão como um microcosmos - que o chão de Copa é lixo, mas tb LUXO. A ideia do "janelão" cabe na cabeça de qualquer um por motivos óbvios !!
Quanto ao aspcto da obra- confrontada-com-outros-prédios da orla, faz tempo que a cidade pede prédios remodelados, restaurados ou mesmo novos - o que não é difícil de acontecer se o metro quadrado está constantemente se valorizando e o capital se reinventando !! Pode acontecer em Copacabana o efeito-regime, qnd vc emagrece e sente necessidade de comprar roupa nova, cortar o cabelo e se perfumar !!
O que parece fundamental é reenergizar , dar outra função ao espaço que não apenas servir de vitrine da prostituição de quinta(como ficou a HELP)!! Mas essas intervenções urbanísticas sem política social e mudança de postura dos moradores, ou não funcionam, ou funcionam no microcosmo - vai mudar o quarteirão, o entorno, nada mais, olhe lá !!

Engraçadinha disse...

Querido e até hoje eu não fui na Help?!
Preciso correr lá antes q as obras se iniciem!
Arebaguandí!

Janaina disse...

Jôka, você esqueceu de falar do Mistura Fina.Sobre a palsticidade do projeto gostei sim só que parece meio fora do lugar.Porém dever ser por causa da apresentação do projeto,sei lá.Sou otimista, pois geralmente um projeto é muito criticado quando está no papel, mas depois da obra pronta muitos mudam de opinião.Estou otimista sim,beijos.

Olga disse...

Eu fui à inauguração da Help!!!! Com um amigo que na época trabalhava no escritório que projetara o abatedouro, digo, nightclub.
Foi minha única incursão naquele ambiente seleto.
E mais não conto!

Olga disse...

Ah, sim, e eu gostei do projeto novo!!!

Linda Carioca disse...

Olá, Jôka ! Tudo bonzinho ?

Sabe, Jôka, eu não gostei do prédio.

Não digo que seja feio mas sinceramente acho que ele não combina com Copacabana.

É muito futurista (não gosto desse estilo... veja Brasília, tudo futurista é artificial) e Copa ainda conserva um certo glamour do passado, da Bossa Nova, e tudo mais...

Eu acharia melhor deixar a boate Help, adoro o neon das perninhas... e como tu deve ter percebido, sou muito ligada ao passado !

BeiJôkas !

bueno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
bueno disse...

a help está incluída nos guias turisticos para sexo no rio. aliás um nome soberbo para um puteiro: help. Não poderia ser mais ironico. Acho o museu meio feio, frio. Até hoje gostaria de esganar quem destruiu os lindos prédios art deco que populavam a avenida atlantica. Jetsons em Copa é um pouco como Pizza de banana. Tem gosto para tudo. BEIJAO E SAUDADES!

Magui disse...

Estou pensando se a contrução, depois de pronta, vai valorizar os prédios vizinhos especialmente os de trás.A bela vista da natureza exuberante carioca o pessoal vai perder.

paçoca disse...

Querido Jôka,
permita-me discordar. Não gosto nada da idéia nem do projeto, copacabana não precisa disto. Mesmo porque podem acabar com a help sem colocar um elefante branco, que na minha humilde opinião não lembra em nada as ondas femininas e elegantes do calçadão. Copacabana já é um museu a céu aberto e repito não precisa de futuro, tenho certeza que muitos outros bairros do rio de janeiro precisam desta forcinha. Um beijo e com todo respeito márcia Lopes.

Leticia disse...

Ainda estou pensando... De início, foi como a maioria dos que comentaram: muito futurista demais.

Por outro lado, a vida anda, não? Tomara que faça bem para Copa e para o Rio.

Anônimo disse...

Acho que ao invés de dizerem que esse projeto espetacular "está destoando" deveriam preferir "está se sobressaindo".

Marcos Dhotta disse...

... Toda MUDANÇA tem um sabor especial. Tem cheiro do novo! E é sempre bem vinda... Espero que o novo prédio acrescente à praia de copacabana o mesmo choque cultural que o projeto do arquiteto sino-americano - Ming Pei – proporcionou à praça central do Museu do Louvre, a Cour Napoléon. Lembro que na época a construção daquela Pirâmide, que na verdade são cinco, causou frisson entre os franceses. E hoje todo mundo acha no mínimo bizarro o choque cultural entre o contemporâneo e o clássico. Eu acho que o MIS é totalmente provocativo para o contexto de Copacabana... E isso é bom. Acrescenta e muito, meu bem! Copacabana será ousada e acolhedora como sempre foi... Não tem para ninguém! Afinal, o que a praça Cour Napoléon tem, que Copa não tem? Uh, lá lá!! Que venha o MIS...

MAVO. disse...

Apesar de gostar do projeto e aprovar o imenso contraste, concordo com a paçoca em achar uma ofensa comprar aquilo as curvas femininas do calçadão. No mais, todos esquecemos o alto preço que os moradores do entorno pagarão durante as obras....