06 outubro 2011

Dona Gilda ainda mora aqui.


Sonhei com a minha mãe novamente. Já perdi a conta das vezes em que isso aconteceu, desde que ela se foi, em fevereiro. O sonho é sempre o mesmo: estou perdido, chorando muito, sem saber como voltar pra casa. Aí ela aparece, me pega pela mão, enxuga as minhas lágrimas e me mostra o caminho. Gosto de perceber que ela está viva em mim, me apontando pra onde seguir. Sou um homem com mãe. Um homem-filho.
Sempre foi assim, e acho que sempre será.

6 comentários:

Moyses Ferreira disse...

sim! ela está cuidando da gente! emocionado meu amor.

Engraçadinha disse...

Tava morrendo de saudade de ouvir sua voz!
Faz mais isso pra gente?
Vc andava num mutismo tão grande... acho q as pessoas gostam da sua voz. Precisamos saber o q vai aí dentro. Para o bem, ou para mal!

Suely disse...

As mães nunca nos abandonam. Não é maravilhosa esta sensação?
Abços carinhosos.

Cristina disse...

Ah, que lindo, Joka!! Claro que ela mora e vai sempre te apontar o caminho... Mães são pra sempre!!! Pois elas moram no nosso coração... Um abracao!!!

Marcelo Freda Soares disse...

Não sei o que é mais bonito o teu texto ou o semblante da tua mãe na foto. Abração!

Aninha disse...

lindo, Joka!
beijos!