01 agosto 2006

Lenda carioca - A Mulher de branco

Photobucket - Video and Image Hosting

Existe há muito tempo em Copacabana uma mulher misteriosa que anda pelas ruas, sempre totalmente vestida de branco com uma espécie de véu, que lembra o hábito das freiras.

Há algumas semanas venho tentando me aproximar dessa estranha mulher de branco.

Fotografei algumas vezes essa personagem, sempre de longe, mas ela se esquivava, fugia correndo e eu nunca via o seu rosto.

Hoje finalmente consegui me aproximar, e ela me contou um pouco de sua história:

Maria de Lourdes Batistelo, pele clara e olhos azuis.

É paulista, mas adotou Copacabana como o seu lugar de coração.

“- Eu não sou freira ! Sou de Jesus e pronto.”

Maria de Lourdes mora sozinha e diz que se veste assim para Jesus.

Ela mesma costura as suas roupas, sempre a mão.
Não revela a idade, mas imagino que tenha em torno de 60 anos.
Maria não fica pregando a sua crença, só anda pelas ruas de Copacabana e observa as pessoas.

Não gosta de ser abordada e nunca permite que ninguém tire fotos com ela.

Ou melhor, quase nunca. E quase ninguém.

Bú !

Foto close-up - Marcos Ramos

Outras fotos - Jôka P.

Photobucket - Video and Image Hosting

62 comentários:

Liliane de Paula disse...

Joka, assustadora a figura antes de mostrar o rosto. O rosto bonito mas a cabeça para que tá variando, né?
Liliane

Taia disse...

Jôka, agora ache a mulher loura do banheiro.
Gente, a mulher de branco existe!
Ai que medo!
Sério, eu tenho um certo grilo com essas lendas, aff...
Adorei conhecer a Mulher de Branco.
Ela é calminha é?
Aiai...sei não...
Beijo

Zana disse...

E vc com seu charme conseguiu tirar fotos dela, né??
:D
super beijo!!

ana de toledo disse...

Ela está sempre passeando aqui pelo Leme. E outro dia sorriu pra Tomie!

Ingrid Littmann disse...

uauuuuuuuuuuuu! que figura cercada de misterio, e que coragem a sua de acercar a ela. esse post daria até para sair um livro, põe fantasia e persongem nisso.

beijos

Ingrid Littmann disse...

Joka, que figura é essa????Você não ficou com medo de se aproximar? este post renderia até um livro. Que personagem marcante nas ruas do Rio...

Beijos

Sérgio disse...

grande furo hein ?
Continue contando as lendas.Estou adorando...
Abraços

eduardo disse...

Parabéns!!!! Pelo furo de reportagem!!!
Achei muito bacana o post.

Dani Ochsenhoferw disse...

Eita, imagino que vc deve ter ficado meio apreensivo né Joka, afinal não é todo dia que a gente se vê, cara a cara com uma figura dessas. Parabéns pelo feito! Beijocas pra vc, curto muito isso aqui.

cilene disse...

que furo jornalistico...parabens!!!osblogs fazendo historia

Anônimo disse...

Oi Joka!
Tô meio sumida, mas eh a correria...
Na minha opinião a mulher de Branco é a Katia Flavia!!! rs...
Bjo querido.
Syl.

luma disse...

Você conseguiu!! Lembro de quando ia pela manhã em Copacabana fazer exercícios ortopticos e encontrava com tipos estranhos. Um vez um desses tipos brigou comigo porque estava pisando em cima de uma listra da calçada que por acaso era o trajeto dele. Cada louco com a sua loucura!! Beijus

Leleco disse...

Jôka,

Essas lendas podem virar um livro, já pensou? "As Lendas Fantásticas de Copacabana Beach"...rs

Assustador...rs

Estou adorando a série de lendas urbanas.

É por isso que seu Blog é um sucesso.

Um abraço,
Leleco

Avassaladora disse...

Coisas de Copa mesmo, hein!!!
E é claro que você é tão especial que ia conseguir uma foto com ela...hahahahahha
Hoje eu ví no Bom Dia Brasil que Copa é o Bairro do Rio com mais 3ª idade...hehehehe...
Beijos,

DO disse...

Mas o JÔKA conseguiu.

E ela até sorriu,heheheh

Mas,vem cá,tem cada figurinha por este mundão hem...

Abração!

Ritoca disse...

Oi Jôka!

Sensacional esse registro da lenda da mulher de branco! Parabéns!
Acho que ela não resistiu ao seu charme e sua persistência de repórter...;-)
Adorei a foto de vocês juntos na moldura. :-)
Quando a gente se aproxima, vê que as coisas não são tão tenebrosas quanto parecem.
Estes seus posts mereciam virar um livro para que as futuras gerações possam saber um pouco mais sobre este bairro tão famoso.
Beijocas,
Ritoca

Vera Fróes disse...

Só vc para descobrir quem era e revelar quem era a mulher de branco. Eu não faria isso de jeito nenhum.

Quanto ao Ney, gosto dele porque em plena ditadura, teve a coragem de dizer no Programa Canal Livre da Band que a primeira vez que teve contato com o homossexualismo foi no Exército! Tem que ser muito macho para isso.
Mas nunca participou de passeatas gays(mesmo assumindo seu romance com Cazuza) e nem levantou bandeiras. Assumia de uma maneira responsável, sem ser vulgar! Provavelmente por isso, sempre foi respeitado pelo público em geral.

Sábado tem festa de outra leonina. Só não conto quem é, vais ter que descobrir...rssss.

Bjokas.

Vendetta disse...

Jôka, que fantástico!!! Copacabana... que vontade de te ver! Agradeço (tardiamente) as flores que me mandaste! São lindas, não me canso de olhar...anda tão difícil de comentar, vc não imagina! Um super beijo!

Andréa N. disse...

Demais, demais da conta, Joka- esse blog ta ficando cada vez melhor, se eh que isso eh possivel. Amei o post do Ibrahim, tambem! E esse, desmistificando a figura da mulher de branco, ARRASOU!
Adorei. Beijos.

Andréa N. disse...

Poxa, parece que meu comentario nao entrou...

Amei esse post e o do Ibrahim. DEMAIS!!

Palpiteira disse...

Menino do céu, coisa mais doida. No íncio da matéria, pensei que se tratasse de um ser assustador, tipo serial killer de Copa. Mas, na foto com vc, parece uma senhorinha feliz e bondosa. Só é meio tantanzinha, né? :)
Beijos, LL.

luciane disse...

Oi, Jôka P.! Uma vez estudei, por alguns dias, na mesma sala de uma moça muçulmana toda vestida de preto e com o rosto completamente coberto. Não dava pra ver nem os olhos dela. Eu morria de medo.
A "Mulher de Branco" até que parece simpática na foto, mas eu morreria de medo dela também.
Abraços

Marshall disse...

Que papo hein? Caracas, não acredito que ela vive assim! Só vc para tirar uma foto assim! Aliás, vc anda sempre com essa moldura pra foto na mão? rsrsrs (brincadeira).
Cada vez fico mais surpreso com seu blog e com Copacabana! Gosto do bairro, sempre que vou ao Rio fico por aí.
abraço

Tom, um ser diferente... disse...

Agora pronto! Tenho dois loiros de olhos verdes em minha vida! Você e o Boris! Não é pra todo mundo, heim?!
Jôka, desculpa meu sumisso, mas estou muito ocupado pra deixar as coisas em ordem antes da minha viagem.
Mas tô vivo e funcionando!
Um xêro bem GRANDE pra tu!

Olha... Mulher de branco e Ibrahim Sued... Só você mesmo! Esse blog me deu até arrepios!

Mosana disse...

eu sempre a via andando por la.. nunca falei com ela.. mas qnd ela me pegava olhando.. ela sempre retribuia com um sorriso meigoou mostrando a lingua marotamente..
q bacana q vc conseguiu se aproximar...
beijos

gugala disse...

É a vergonha de ser paulista. ahahaha

Olga disse...

Grande repórter!!! Parabéns!
Beijo!

Carol disse...

Jôka, e a mulher de branco do Leblon / Ipanema, você já viu? Ela anda com umas roupas brancas esvoaçantes, normalmente na praia (mas também já vi na Visconde de Pirajá), fazendo malabarismos com seus véus...
A moderação dos comentários é necessária, é? Chato isso... O vudu que colocam em mim não é desses não... ;-)
Bjo!

Palpiteira disse...

Tive que trocar de roupa, muito frio por aqui. :)
Beijos.

Milady disse...

Jôka, imagina se para você alguma criatura no mundo não ia se abrir? até eu que sou mais boba!!! Engraçado é que aqui em Brasília tem uma mulher com uma história parecida. Ela mora entre duas quadras num ponto de saída de ar do metrô (lenda urbana de Brasília é essa, viu?! o metrô!) E suas roupas são feitas por ela mesma com faixas de propagandas que penduram em todos os cantos. É uma figura interessante também. Quem sabe um dia eu descubro a história dela pra te contar?! :-) Saudades, muitas! beijos da sua fã candanga N. 1!!!!!

Milady disse...

Ih, desculpa! não vi que vc agora estava moderando os comentários e acabei postando duas vezes!!!! :-) Que falta de atenção a minha!!! Te adoro, coisa mais linda do Rio de Janeiro! :-D beijos

Laura disse...

Fantástico! adorei, ela tem uma cara ótima, que bom fazer o que quer, Copa deixa todos viverem como querem, é fantástico isto.
Então não mamou, é? imagine se tivesse mamado hihihi respondi lá,o Guga comentou isto :)
bjão Jôkinha, vc é sempre DEZ.
Laura

Claudio disse...

Jôka, em mais um furo de reportagem !!!!

Parabéns companheiro, vc desvendou mais um aspecto de Copa !!!

abs

Janaina de Almeida disse...

Olá Jôka meu Rei,

que interresante essa senhora toda vestida de brnaco.
E cada vez mais eu fico admirada com você , a maneira de saber se aproximar e respeitar as pessoas.

Viva sa diferenças e a liberdade de expresão!!!!!!!!!!

Mil beijos e abraços,
Janaina de Almeida, Vila Isabel.

Matilda Penna disse...

Interessantíssima a Mulher de Branco, não conhecia, achei o máximo esse post.
Aqui em Salvador teve uma Mulher de Roxo, só vestida de roxo, parada na porta de uma loja que nem existe mais, era famosa, virou até filme, livro (acho que o filme é um documentário), minha infância inteira ao ir fazer compras deparava com ela, toda de roxo.
Saudades e beijos, :).

Anônimo disse...

Joka meu querido, nem tenho como te agradecer, há tempos to procurando uma imagen de vitrola, e vc me manda uma perfeita assim sem eu pedir!!! Amei, thanks... beijos.

Dani Vitrolinha disse...

O último comentário aí é meu... não sei pq, mas não apareceu nada antes pra eu preencher os dados !!! hihi bjos.

Anna D' Castro disse...

É Jôka, ótima matéria. Adorei! Histórias de vida complicada, sabe-se lá pq ela chegou nessa situação... Algum desgosto ou alguma perda afetou a mente dela... Falta de atenção, de carinho e apoio... Vc deve ter-lhe infundido confiança, pois não judiou dela. A pobre, deve estar habituada a que a maioria das pessoas, babacas, mexa com ela. Porque o ser humano é cruel com o sofrimento... E ela se tornou bicho-do-mato. Bastou que Alguém - vc - carinhosamente e educadamente a tenha abordado, para que ela se transformasse em quase normal e com um sorriso confiante... Belo trabalho, Jôka. Quantos mendigos de Copa, não são pessoas que outrora tiveram um passado de gente de bem? Histórias quiçá fantásticas, que ninguém dá a mínima importância... A publicação dum livro com esses relatos, é ótima ideia.
Um Beijo
Anna

reflexoes depois disse...

lendas urbanas que povoam o imaginário e iolustram culturas! Belo trabalho o teu! Saudades daqui! Beijos

Angela Ursa disse...

Jôka, vim fazer uma visitinha da super madrugada. Continuo em recesso quase geral. Adorei a lenda da mulher de branco! Eu não conhecia! Beijos carinhosos da Ursa :))

Yvonne disse...

Jôka, vim aqui agradecer a sua visita no meu blog. Muito obrigada. Caramba!! Você conseguiu falar com a mulher de branco? Eu já a conheço há um tempão. Adorei o seu blog, é uma forma de curtir o Rio. Beijocas

Janaina Staciarini disse...

Ah, mas se um lourão desse me abordasse na rua e quisese tirar uma foto comigo... Meu!! Eu fotografava e ainda tirava onda...
Beijão, querido!!! QUERIDO!!

Quel disse...

Quem pode, pode hein????
Jôka querido, como o médico não me passou nenhum anfiinflamatório, não tomo remédio sem prescrição. To aqui, com ela dando o ar da graça... mas logo, logo eu resolvo isso! :) vc é mesmo um docinho.
beijo

Anônimo disse...

Que coisa heim? Sangue de Jesus tem poder!
Cada um que fala sério!
Boa foto, ficaram muito bem.
Lindo dia Jôka
beijosssssssssssss
Márcia(clarinha)

Dani disse...

Virou caçador de fantasmas, é? :-)

Eu nunca vi a mulher de branco... mas agora, se eu a vir, não vou achar que é um fantasma. Vou saber que é a Maria de Lourdes... rs

Beijão, Jôka. :-)

Anônimo disse...

Caraca! Eu já cruzei com ela, tenho quase certeza

Ana disse...

vc consegue de td hein? rsrsr bjus

Lila disse...

Oi Jôka! fiquei assustada com as primeiras fotos..rs...mas até que ela é simpática,né? beijos

Silvia Regina disse...

Adorei seu blog! Cheguei aqui pelo comentário no blog da Ingrid (o Trocando Figurinhas)

Telma disse...

OI Jôka, só vc mesmo com a sua finesse, pra conseguir uma comunicação com uma criatura tão estranha.
Estava com saudade do Copacabana.
Beijos

Saramar disse...

Jôka, meu querido, voltei das minhas curtas férias.

Cá entre nós, se Jesus vivesse nos dias atuais, adotaria vestimenta,de mais de 2 mil anos as palavras, ?

Cássia disse...

Jôka, acho que ela só aceitou porque você ficou ao lado dela.
Enquadramento de sorrisos!

Mas, parece roupa dessas de freira mesmo, a de chapelão, das carmelitas...

CLARK KENT disse...

Jôka, em primeiro lugar parabéns, seu blog é fantástico. Meus pais moram em Copacabana e pretendo voltar a morar em Copa também. Estou em Brasília há mais de 20 anos, mas não aguento mais a vontade de voltar para Copa. Já vi essa personagem, a Maria de Lourdes Batistelo, diversas vezes, há mais de um ano. Legal vc decifrar as figuras deste mundo que é Copacabana. Parabéns.

Marilyn disse...

... mamãe, que medo!

Lia Noronha disse...

Jôka: vc vai desvendar todos os mistérios de Copa...beijos carinhosos amigo Homes!
Boa tarde de sexta-feira.

Laura disse...

Uau, Joka! Nao sabia nada da existencia desta mulher de branco. Nas primeiras fotos, de longe, parece mais um fantasma. Dar ate medo. Mas de frente, com aquele sorrisao, ficou tao bonita! Voce deve ser uma pessoa especial e iluminada para conseguir se aproximar assim dela! Gostei muito do post!

Anônimo disse...

Alowww Jôka! Estou amando este site! Que diferente! Mas olha quanto 'a 'Mulher de branco', tem outras com a mesma indumentária. Seria uma irmandade? bjsss Do

Sonia disse...

Obrigada por me enviar o link! Sabe que quando estava olhando aleatoriamente seus post já havia visto de relance essa reportagem mas não soube mais encontrá-la. Que estranheza de figura! Curiosa personagem! As fotos acompanhando essa mulher fugidía e depois o enquadramento de seu rosto na moldura ficaram incríveis! Legal você ter conseguido saber um pouco do perfil dela!

RODRIGO PAPPÊTTE ( BARÃO ) disse...

Saudações!
Eu conheço a "mulher de branco"...De família tradicional do interior paulista...Sem querer investigamos a vida da mesma em São Paulo e descobrimos que estava no Rio.

Um abraço

Odila Ricon disse...

Conheço essa senhorinha desde que ela era mocinha.De família tradicional em minha cidade, optou pela religião em tempo integral.É dócil...não faz mal a ninguém, não morde...apenas vive seu lado estranho da vida.
Que bom saber dela! ...que bom que alguém ousou romper a barreira do preconceito.
Abraço!..obrigada pela feliz reportagem!

Cris disse...

Joka, tudo bem? sou Cristine Gerk, do jornal O DIA, queria tentar falar com a mulher de branco. Você pegou algum contato dela, telefone, endereço? Manda pra mim?

Jôka P. disse...

Oi Cristine! Não tenho nenhum contato da Mulher de Branco, no entanto não é difícil vê-la nas ruas de Copacabana. No entanto ela é muito desconfiada e é difícil se aproximar. Mas não custa tentar. Boa sorte!